sexta-feira, 29 de julho de 2011

Risoto não é bicho de sete cabeças...


Para muitas pessoas, a palavra "risoto" é sinônimo de comida cara, sofisticada e difícil de fazer, mas não é. É muito fácil e versátil, e você pode acrescentar "acessórios" nele para combinar com qualquer ocasião. Resolvi postar esta receita hoje por causa do meu sobrinho que está passando o fim das férias aqui em casa. Sabe aquela comida que você acredita não existir pessoa no mundo que não goste? Então, ao meu ver arroz era uma dessas comidas. Versátil, básico, cada um faz de uma forma diferente, mas no fim, todos gostam. Meu sobrinho não gosta de arroz; diz que só gosta de comida com caldo (mas só come macarrão sem molho :\). Eu não conformada, resolvi fazer um risotinho básico, que nada mais é do que arroz com caldo (quase isso vai...) e ver o que acontece.


Risoto básico (para 3 pessoas):
1 xícara de arroz arbóreo (aquele próprio para culinária italiana)
3 xícaras de caldo de frango (pode ser de legumes, carne, camarão, enfim, depende do que você for acrescentar depois)
1 colher de sopa de manteiga
1 dente de alho espremido
1/2 xícara de vinho branco (que não coloquei por ser um risoto pra criança)
1/2 xícara de queijo parmesão ralado
Obs: Alguns "chefs" de plantão podem até dizer que não usam caldo pronto, mas genteee, vamos facilitar a vida em casa né! Este caldo que usei é muito bom, realmente parecido com o "de verdade".

Modo de preparo:
Derreta a manteiga e refogue o alho e em seguida já coloque o arroz. Quando tudo estiver envolvido pela manteiga, acrescente o vinho branco (que não coloquei nesta etapa) e espere evaporar. Aos poucos vá acrescentando o caldo de frango e mexendo devagar em fogo médio. Quando estiver no ponto, coloque o queijo ralado e sirva imediatamente. O ponto do risoto tem algumas carcaterísticas:
1) Cremoso (nem seco nem encharcado);
2) Grão "ao dente" (quando pegar um grão e morder ele deve ainda ter um pontinho branco no meio);
Quando estiver pronto, você pode acrescentar funghi secchi hidratado e passado na manteiga, alho poró refogado, tomate seco com manjericão, carne seca desfiada com abóbora, camarão etc.
Eu simplesmente refoguei uns cubinho de frango na manteiga com alho e salsinha picada.
Obs: Pensei em não postar isso, mas sinceridade acima de tudo: meu sobrinho NÃO gostou rsrs...Mas meus filhos aprovaram....

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Eis que enfim um pequeno acerto...

Bomba de chocolate


...quarta-feira de manhã, crianças acordando com a boa e velha pergunta feita durante todo o período de férias: "Mãe, o que vamos fazer hoje???". Na minha cabeça eu só tinha uma ideia: "Doce, doce, doce!!!". E pegando pela primeira vez um livro do Michael Roux que comprei em dezembro de 2010 , eis que surge na minha mente a imagem de uma bomba de chocolate da Ofner.... (moro no interiorrrr, não tem Ofner aqui, apesar de ter ótimas docerias, mas a minha vontade era unânime...). Lá fui eu pro fogão, livro na mão e crianças ajudando...
Deu tudo certo!!! Que alegria!!! Comecei com um acerto!!! 
Ps: duas aquisições urgentes: máquina fotográfica e batedeira (#sonhodeconsumo ;))


Massa (patê a choux):
125ml de leite
125ml de água
100 g de manteiga em cubo
1/2 colher de chá de sal;
1 colher de chá de açúcar refinado
150g de farinha de trigo (usei 1 xícara)
4 ovos (usei 3 grandes)
ovo batido (1 gema batida com 1 colher de sopa de leite) (não fiz, pois iria usar cobertura)


Recheio:
250ml de leite
1 lata de leite condensado
2 gemas
4 colheres de sopa de amido de milho
200g de chocolate amargo picado


Cobertura:
200g de chocolate ao leite derretido


Modo de preparo:
Massa: Misture o leite, a água, a manteiga, o sal e o açúcar em uma panela e cozinhe em fogo baixo. Deixe ferver e tire do fogo imediatamente. Acrescente a farinha de uma só vez e misture com uma colher de pau até formar uma mistura lisa. Leve novamente ao fogo médio e mexa sem parar por um minuto para a massa secar um pouco. Transfira para uma tigela e acrescente um a um os ovos, batendo bem até a mistura ficar sem grumos e com brilho. Faça pequenas carolinas ou uma linha mais grossa com o bico de confeitar liso de 1 cm em uma assadeira untada ou com papel manteiga. Asse em forno pré aquecido a 180oC por uns 20 minutos ou até dourar.
Recheio: Bata ligeiramente as gemas e acrescente em uma panela todos os outros ingredientes bem dissolvidos. Leve ao fogo baixo até engrossar (aproximadamente 10 minutos). Tire do fogo e acrescente o chocolate picado, mexendo bem para incorporar. Coloque em um saco de confeitar e fure delicadamente as bombinhas para inserir o recheio. Cubra com o chocolate derretido e deixe secar. Fica ainda mais gostoso geladinho.


Rende: 35 a 40 mini carolinas ou 15 a 20 bombas.

Era uma vez...


...uma menina que adorava fazer brigadeiro. Os doces de sua avó eram tão especiais que ficavam em uma geladeira separada do restante dos alimentos. Os bolos de sua mãe nunca davam errado. Seus brigadeiros empelotavam, mas isso nunca foi problema, pois ela e seus irmão o comiam a colheradas.
Mas a menina cresceu, tirou a barriga do fogão e foi estudar publicidade, pois se considerava uma pessoa criativa ( que mundo de ilusões...). Casou-se, teve dois lindo filhos, e quase matou o marido de desgosto quando começou a cozinhar. Mas persistiu, e insistiu e não desistiu!!! O brigadeiro deixou de empelotar, a comida parou de queimar, mas o bolo continuava a não crescer. Que tristeza....
Foi estudar gastronomia, com o sonho de um dia, quem sabe, nunca mais errar (oh ilusão...). Mas o que ela aprendeu foi que o erro (mesmo que muitas vezes repetidas), leva ao acerto uma hora ou outra (ou não, e neste caso desistir  e mudar de receita é o melhor remédio).
A menina se apaixonou por blogs de culinária, livros, sites com receitas e caderninhos antigos com anotações de sua mãe. Foi quando decidiu errar mais algumas vezes e, talvez postar seus acertos (somente alguns erros) e, quem sabe descobrir sua verdadeira vocação... Boa sorte a ela!